sexta-feira, 8 de julho de 2016

12. Trabalhe o medo de errar

Um dos maiores medos enfrentados pelo empreendedor é o medo de errar. Esse medo geralmente surge da insegurança em tomar algumas decisões importantes que envolvem riscos. 

"Se a pessoa nunca teve um negócio antes, toda a experiência é nova para ela. O risco sempre vai existir, mas podemos minimizá-lo. Buscar conhecimento ajuda a diminuir essa sensação de ter medo do novo", diz Hashimoto. 

A dica dada pelo professor do Insper se resume assim: assuma esses riscos, sabendo que você vai cometer erros. "Não parta do pressuposto de que empreendedores não cometem erros. O empreendedor vai tomar decisões equivocadas, vai errar e bastante. Mas existem muitas coisas na aventura de ter um negócio próprio que não são aprendidas nas escolas ou nos livros. Na verdade, a maior possibilidade de aprendizado está na prática, e isso significa tentar e errar, para depois tentar novamente de outra forma, até acertar. Portanto, para o empreendedor, cometer erros faz parte do processo de aprendizado". 

No entanto, é necessário cuidado máximo para não cometer erros que sejam fatais para o negócio. "Alguns erros podem ser definitivos e impedir uma outra chance para se tentar novamente, por serem críticos para o negócio. Iniciativas para reduzir a incerteza ajudam a identificar estas possibilidades mais críticas, para que estabeleçamos um limite para nossa capacidade de ousar e não colocar tudo a perder", afirma Hashimoto. 

Guilherme Alvernaz saiu do emprego em uma produtora e se tornou sócio da Oca Filmes. Segundo ele, o medo de errar pairou em sua cabeça durante todo o tempo em que refletiu a respeito da decisão de partir para um negócio próprio. "Realmente, dá muito medo de abrir um negócio no Brasil. Na época, eu estava contratado em outra agência, tinha salário fixo e algumas comodidades. Tive que driblar meu medo de errar para conseguir me desviar disso tudo e abraçar um negócio novo". 

Na opinião de Alvernaz, ao tomar a decisão de virar um empresário, ele percebeu que os aspectos positivos eram maiores do que as possibilidades de erros. "Eu levei em conta o fato de estar me aliando a profissionais que já tinham trabalhado comigo anteriormente e que seriam realmente meus parceiros. São pessoas que dão valor à questão dos prazos e à qualidade do trabalho. Isso me ajudou a ficar com menos medo de errar". 

Nenhum comentário:

Postar um comentário