quinta-feira, 14 de julho de 2016

17. Cuidado na escolha do sócio

Com a falta de capacitação em uma determinada área ou até mesmo com o intuito de agregar mais investimentos ao negócio, o candidato a empresário considera a possibilidade de montar um negócio em sociedade. Mas muitas vezes é pego pelo medo de fazer uma escolha inadequada e acabar sendo prejudicado por causa disso. "Cuidado com a escolha do sócio", alerta Marcelo Cherto. Para o consultor, a escolha de pessoas conhecidas e próximas nem sempre pode ser o melhor negócio. 

"Por exemplo, escolher seu melhor amigo como sócio não garante o sucesso do negócio. Para dar certo, é necessário que haja perfis complementares". 

Compartilhar com o sócio as experiências ajuda a vencer o medo de ir em frente na meta de abrir um negócio, de acordo com Paulo Veras, ex-diretor geral do Instituto Endeavor. "É fundamental trocar ideias e experiências a respeito de suas competências. Isso ajuda a vencer o medo e o objetivo de constituir uma empresa acaba ficando mais forte, pois todo mundo se ajuda e se empolga junto". A relação entre os sócios é comparada a um casamento: eles se unem com um propósito específico, que é o de criação e crescimento da empresa. 

Na visão de Veras, o sócio ideal é aquele que tem a capacidade de fazer a empresa ir muito mais longe do que o empresário sozinho. E têm que estar preparados para conduzir e administrar empecilhos que possam surgir no meio do caminho como deficiência na condução de problemas de gestão do dia-a-dia da empresa, falta de consenso na hora da tomada de decisões, falta de planejamento e de comunicação, entre outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário