sábado, 2 de julho de 2016

7. Avalie se a sua ideia não é uma ilusão

Muitas pessoas têm ideias que na prática são inviáveis, o que leva muitas empresas a baixarem suas portas com pouco tempo de vida. "Por isso é importante estudar o mercado onde vai atuar, ver se a proposta de negócio não é uma ilusão", avalia Marcelo Cherto. "Devido a isso, muita gente acaba optando pelo modelo de franquia, que já oferece essa resposta". 

"Depois de estudar, de listar os prós e os contras, vi que comprar uma franquia do La Pasta Gialla poderia ser vantajoso, pois eu teria o nome de um chef famoso por trás do negócio, todo o amparo da franquia e a possibilidade de escolher um ponto comercial favorável. Perceber que o negócio era possível me fez fechar o negócio". Hoje, o restaurante já tem quatro anos de vida e cresce 5% em faturamento a cada ano.Para conseguir um acesso ainda maior às informações, a internet pode ser uma excelente ferramenta. "Muitos empreendedores, quando abrem um negócio, não têm dinheiro para investir na realização de uma pesquisa de mercado. Por isso, sair a campo, pesquisar livros, estudos e publicações, e acessar o banco infinito de dados da internet são meios que podem ajudar o empresário a ter noção sobre como seu negócio pode ou não se encaixar no mercado", explica Marcelo Aidar. Para o professor da FGV-SP, o empreendedor não deve se deixar levar por suas observações pessoais a respeito do assunto. "Busque informações em fontes confiáveis, como por exemplo, no IBGE". 

Artur Muradian, proprietário da filial Moema do restaurante La Pasta Gialla, sempre teve vontade de comandar sua própria empresa. Preparou-se durante três anos, até encontrar um negócio que fosse adequado às suas expectativas. "Eu queria trabalhar com gastronomia, mas tinha medo, pois abrir um restaurante no Brasil é muito arriscado". O empresário então optou pelo modelo de franquia e, a partir daí, começou a fazer pesquisas de mercado para avaliar qual seria a oportunidade mais viável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário